Retrospectiva 2014

Foram tantas as reclamações, tão enfáticos os clamores, tão veementes os lamentos, que no fim eu me vi obrigada a parar e me perguntar “Êpa, mas 2014 foi assim esse horror todo que as pessoas estão dizendo?”
Procurei por sinais inequívocos de encrenca, tentei listar os maiores problemas, recapitulei meus passos pra detectar onde foi que pode ter dado merda e, olha que apesar dos primeiros quatro meses terem sido bem horríveis, o resto nem foi esse pandemônio todo. Arriscaria em chamar de ‘annus marron’.
Não acertei uma mísera quadrinha na MegaSena, George Clooney continuou ignorando minha existência e para piorar acabou se casando-se com aquela advogada britânica horrorosamente linda. Não falei nem dez por cento dos f***-se que eu deveria e gostaria de ter dito, e ainda faltou ver meu Brasil, (“nas escolas, nas ruas, campos, construções
Somos todos soldados armados ou não
Caminhando e cantando e seguindo a canção
Somos todos iguais braços dados ou não”) na direção de se tornar um lugar realmente civilizado pra se viver. Mas, pelo visto “fodeu de vez”, você conhece definição mais exata, pungente e arrasadora, para uma situação que atingiu o grau máximo imaginável de ameaçadora complicação?

Reencontrei amigos, renovei e fiz novas e muito queridas amizades – e quem desdenha as redes sociais não faz ideia de quanta gente bacana, linda e interessante está espalhada aí por esse mundão de meudeus,só esperando uma chancezinha de nada pra virar seu amigo de infância – tive família, amores e amigos ao meu lado, recarregando minhas energias tanto ao vivo e a cores como pela virtualidade, fui a festas, batizados, aniversários, casamentos e tantas outras celebrações onde pessoas queridas estavam lindas e felizes e me fizeram linda e feliz junto com elas, fiz muitos brindes, vi ótimos filmes, li muito (como há muito tempo não lia), fiz pequenos passeios deliciosos, caminhadas na praia, fiz muitas fotos, ouvi muita música boa (porque eu não ouço música ruim, cof colf).
Mantive-me saudável e até a onda de perdas que andava rondando os meus nos últimos anos fez a delicadeza de dar um tempinho.

Então acho que eu tenho mesmo muito mais a agradecer do que reclamar. 2014 não receber um Oscar por seu desempenho, mas aparentemente me foi mais suave do que pra muita gente.
2015 chegou, com muitos (e alguns complicados) desafios, com problemões com os quais eventualmente teremos que lidar, bons projetos na cabeça e aquele inevitável otimismo que costumamos ter ao dar início a qualquer empreitada. Não tenho assim grandes pretensões, espero que os dias me sejam leves e que eu continue recebendo toda essa energia bacana que chegou até mim neste último ano. E que eu possa continuar retribuindo com a minha própria.

Um muito Feliz Ano Novo para todos nós!

2 comentários:

  1. Amém, amém!
    Fui lendo e sorrindo porque fui concordando sempre com você - que é uma das pessoas super bacanas que sem esse espaço virtual talvez eu nunca viesse a conhecer.
    Obrigada pela companhia! Que 2015 realmente nos seja leve!
    .....................
    Sobre o "Florbela sob novo olhar", você pode consegui-lo na Livraria Cultura, loja física (já que mora em São Paulo) ou virtual. E no site da editora (Annablume), que estava (não sei se ainda) com desconto. Okay?
    Obrigada pelo interesse pelo meu trabalho!
    Abração!

    ResponderExcluir
  2. Oi, Yvone!
    Comigo não aconteceram coisas ruins em 2014, mesmo assim achei o ano ruim pela energia ruim que pairou, seja no Brasil como no mundo. Agora o ano de 2015 começou com terror...
    Eu gosto das redes sociais, mas tem um lado dela que não gosto. Por exemplo, se passa um programa na tv que não gosto e eu não estou assistindo, acesso a rede e só fala daquio. Foi assim nas eleições, na copa e é assim em pequenos eventos do dia a dia.
    Melhor fazer vista grossa... ou desconectar.
    *Você já acessou o link do seu perfil do blogger? Para mim ele está dando erro:

    "Opa, isto é um erro.
    Lamentamos pelo inconveniente.
    Tente atualizar a página para ver se o problema é solucionado"

    Queria saber se é somente comigo...
    Beijus,

    ResponderExcluir

Fala que eu te escuto



Visualizações

Categorias