Invista na qualidade das suas relações

“Os cientistas dizem que somos feitos de átomos, mas um passarinho me diz que somos feitos de histórias.” Eduardo Galeano
Doce Valentina

Não é sempre que nos deparamos com conteúdos de qualidade e que nos mostrem o lado bom das pessoas, que exibam um mundo mais humano e possível, que ampliem verdadeiramente nossos horizontes.
Por isso hoje passo por aqui para compartilhar com vocês o vídeo abaixo fruto de uma pesquisa realizada na Universidade de Harvard estudo batizado de “O Estudo do Desenvolvimento Adulto”.
Palestras como essas nos dão suporte psicológico e espiritual. E espiritual, claro, não está necessariamente relacionado à religião. Tem a ver com força pessoal, equilíbrio psíquico, serenidade para aceitar a circularidade do tempo, coragem para construir um novo modelo mental.
Minha primeira informação veio de uma matéria de fevereiro ultimo na Revista Exame


No final do ano passado o Dr. Robert Waldinger, psiquiatra, psicanalista, professor na área clínica de psiquiatria na Universidade de Medicina de Harvard, diretor do centro de terapia psicodinâmica no Hospital Geral de Massachusetts e diretor do estudo em felicidade mais longo da história. Foi realizado pela Universidade de Harvard onde o Dr. Robert fez uma palestra no TED contando o que eles descobriram até o momento durante os 75 anos de pesquisa (isso mesmo que você leu, 75 anos de estudos, o que é um tempo bem longo e difícil de acontecer em pesquisas).
Durante a pesquisa eles acompanharam a vida de 724 homens de dois grupos de diferentes classes e interesses e a pergunta que ele responde nessa palestra é:
"O que realmente mantém as pessoas saudáveis e felizes?”
A pesquisa chegou à conclusão que o segredo para envelhecer bem não é sinônimo de alimentação correta; evitar álcool e cigarros ou fazer atividade física: É a qualidade das relações que você desenvolveu ao longo da vida.
Assista ao vídeo do TEDx com Robert Waldinger (75 anos resumido em 15 minutos), o quarto diretor do estudo, para entender melhor.

Essa é uma ideia que merece ser divulgada!

Boas energias para a casa nova

Minha filha esta mudando de casa e essa semana me pediu algumas dicas para proteger e purificar seu novo cantinho. Afinal, mudar é sempre uma nova porta se abrindo, novas oportunidades, renovação, enfim um momento para concentrarmos em boas e benéficas energias.
Sorte e azar são duas energias que estão por aí para quem quiser acreditar. E, para dar uma força à sorte, existe uma variedade de objetos poderosos que podem ser colocados logo na entrada de sua casa.
Mas antes de tudo é preciso à limpeza física mesmo (água e sabão). Em todos os cantinhos, se puder renovar a pintura melhor ainda. Concentre-se nessa tarefa acreditando, de coração, que todas as energias negativas estão sendo retiradas do seu lar e que boas energias estão adentrando para proteger sua casa.
Depois de tudo absolutamente tudo limpo, dilua em água vinagre de maça com sal grosso e passe na casa toda. O sal grosso é um protetor forte, tradicional e muito barato e o vinagre é um detergente natural. O ideal é fazer isso antes de colocar os moveis ou desencaixotar caixas dentro da casa antes da mudança propriamente dita.
Utilize defumadores, aromatizadores, sprays polarizadores, vaporizadores com ervas, incensos, etc. Adote uma rotina de aplicar esses preparados no ambiente todos os dias, pois eles elevam o pi siquismo do local com muita rapidez. Faço isso todos os dias na minha casa no final de cada dia. Aprendi algumas coisas lendo e me informando e outras me deixaram guiar pela intuição, no final o que importa é o sentimento, a intenção. Se estas dicas aumentarem sua fé, então o ritual terá tido valor.
Traga para dentro da sua casa algo da natureza como plantas por exemplo. Estes ajudam a contribuir com a qualidade do ambiente em que vive, removendo substancias químicas do ar.

Muitas pedras são conhecidas por seu poder de captar a energia negativa e sugá-la do ambiente, protegendo o local.
Encontre a força que vem do coração e coloque nesses rituais a intenção que deseja.
Namastê! 

Mais destralhe

Nossa!! Quanto tempo não passo por aqui. Gosto muito de escrever, mas eu tenho que estar inspirada e isso me faltaram nos últimos tempos. Tanta coisa – e nada – aconteceu nestes meses que fiquei fora do mundo dos blogs. Mudei tanto a maneira de ver a vida e me posicionar no mundo… Preciso descarregar um pouco aqui.
Quando criei o blog a primeira intenção era mostrar como tornar o cotidiano mais prático em casa: Reduzir, Organizar e Ter Tempo. Queria passar de consumista à pessoa centralizada e com foco. De certa forma acho que consegui e o blog serviu – e ainda serve – como um local de consulta.
Apesar de não escrever mais com regularidade, meu analytics mostra que as pessoas continuam acessando, o que torna pra mim difícil não passar por aqui e sentir vontade de, desabafar e contar mais um pouquinho sobre as impressões e experiências até aqui.

Já postei sobre desapego e destralhe aqui, mas acho que sempre vale repetir por que Ô coisa difícil de fazer não é mesmo?
O fato é que quando comecei o destralhe a dar, vender e jogar coisas fora, parei totalmente de comprar qualquer coisa nova pra mim ou pra minha casa que não fosse realmente necessária. Comecei a pensar mais em tudo o que eu tinha, por que eu tinha, se eu precisava ter ou não.
Muita coisa que era absolutamente natural na minha vida mudou e hoje não cabe mais na minha caminhada. Algumas coisas mudaram de forma mais repentina, mas muita coisa passou por um processo de amadurecimento da ideia e depois se consolidou até tornar-se um hábito, mas confesso a vocês que não só coisas ficaram para trás, descobri que a caminhada é mais solitária do que parece e por isso tive que me desapegar de muitas pessoas também.

Me auto-proclamei minimalista e comecei a viver de acordo com os meus próprios valores e crenças. No trajeto até aqui até aqui já me livrei de muita coisa — e mais importante ainda, deixei de comprar MUITA coisa –, mas ainda tenho um longo caminho pela frente.
Ainda luto para me ver livre de barulhos, de luzes fortes, de cores berrantes, de odores químicos, de revestimentos sintéticos.... e também para parar de fumar (um vai e volta sem fim), voltar para a yoga, diminuir ainda mais o consumo de carne e terminar projetos inacabados.

Posso dizer que aos poucos, a minha vida fica mais leve a casa vai se transformando num lugar onde as coisas em volta têm verdadeiramente um sentido. Amanhã posso arrumar uma mochila, deixar tudo pra trás e me mudar pra qualquer lugar e continuarei sendo eu, muito feliz, obrigada.
Mas não é fácil, nem é rápido — pelo menos não se você como eu, tiver passado mais de 30 anos acumulando coisas. E tem horas que dá um desânimo diante da quantidade de tralha que aparece, da trabalheira que é olhar coisa por coisa, do cansaço emocional que é se desfazer de certos objetos (depois passa, fiquem tranquilos, mas é cansativo).

Namastê! E bom destralhe pra todo mundo!

Como aproveitar sobras de tecidos, rendas e crochê antigos

Ao longo do ano vou guardando idéias e sugestões para aproveitar restos de tecidos, pequenos retalhos de rendas e aviamentos, que por alguma razão ficam se amontoando em sacolas, gavetas e gavetinhas.
Hoje vivemos a realidade do cuidado com o meio ambiente, da reciclagem e em nossas gavetas
Então deem uma olhada nos seus guardados e vejam se conseguem achar aqueles restos de tecidos que sobraram para que vocês possam praticar e pensar em novas possibilidades. Só não vale desperdiçar!


Sobras de toalhinhas de crochê e renda
Restos de lã ou linha rendem peças originais
Sobras de retalhos, aviamentos...A cortininha com restos de malha ficou linda.
Olhem esse tapete feito de restos de jeans?!
No vídeo abaixo encontrei uma ideia maravilhosa e rápida para fazer um top solto. Eu adoro tecido de renda, porque não precisa terminar as bainhas, mas dá para fazer com malha de algodão ou outro tecido que dispense acabamentos.
Faça você mesmo em dois minutos.


E então gostaram das idéias?
Uma linda semana para todos e um beijo no coração.

Quintal casa alugada ideias simples

Quintal, terraço, corredor lateral, frente, fundo, laje, cobertura… Não importa. Imagina o desespero de uma pessoa louca por verde, que se muda para uma casa alugada cujo quintal se resume a muros sem graça, piso desgastado e tudo por fazer! Muito concreto + pouco verde = 0 de aconchego! Mas com um pouco de criatividade e paciência dá para transformar qualquer espaço sem graça em um recanto agradável. Há também casos em que o quintal serve como uma área para o cultivo de plantas, para acomodar um ofurô ou uma mesa de refeições ao ar livre...Tudo depende do espaço e do que se quer para ele.
Numa pesquisa rápida também dá para ver um monte de solução criativa não só nos materiais de construção, mas também em estilo e função, que podem ser executadas em madeira, ferro ou bambu...
Então, selecionei algumas fotos que achei interessantes para servirem de inspiração a custos baixos
.
Esse área da churrasqueira é da casa da Priscila do Blog Apaixonados por casa, onde usaram apenas bambus e serrinha, arame e alicate e muito boa vontade! CURIOSIDADES: os vasos onde estão plantadas as trepadeiras são de plástico (desses horrorosos e baratinhos). Encomendaram esteirinhas de bambu para usar em volta deles, fez toda a diferença. A trepadeira escolhida foi a tumbergia azul, mas a Priscila alertou que é melhor escolher vasos maiores porque a planta começou a sofrer.
Há muitas espécies de trepadeiras que se adaptam bem a vasos, desde que eles sejam grandes o bastante para comportar as raízes. Lágrima-de-cristo, amor-agarradinho, primavera, clerodendro-vermelho... Todas essas plantas são facilmente encontradas em floras e garden centers.
Ao comprar, explique para o vendedor qual a incidência de luz e ventos no local onde pretende colocar o vaso, assim ele pode orientá-la a escolher uma espécie que vai se adaptar melhor e mais rápido.Trepadeiras usadas como cobertura na pérgula criam sombras interessantes, e se queremos naturalizar a estrutura temos ainda a vantagem de que o crescimento vertical das plantas é uma solução em lugares pequenos para poupar espaço.

Estas estruturas ripadas ou cruzadas de madeira, ferro e bambu são muito úteis para esconder áreas feias, separar a entrada social da de serviços, aumentarem a altura de muros, darem mais privacidade a casa, entre outras funções. São simples de fazer, é só encomendar a estrutura a um marceneiro ou serralheiro e ainda servem para conduzir espécies com ou sem flores.

Essas abaixo postando para os papais da Valentina como inspiração para um tanque de areia novo, cabaninha para ter sombra na grama e um piso de pedras para o caminho que leva até o pomar.



E o tempo, que não para nos trouxe até os dois anos de minha neta num piscar de olhos! Não vou usar o clichê: “parece que foi ontem que aquele ser tão pequeninho nasceu”, mas é verdade que o tempo passa depressa demais e é preciso aproveitar o máximo os momentos que trazem tantas alegrias e encantamento.
Espero que tenham gostado das sugestões. Boa semana a todos!


Visualizações

Categorias