Desapega e liberta-te


Não é a primeira vez que falo sobre desapego aqui no blog. Descobri ao longo do tempo que exercitar o desapego é um hábito que acontece de dentro pra fora, não adianta forçar deve acontecer como um tratamento – Você quer parar de fumar? Quer emagrecer? Quer ter uma vida mais saudável? Você sabe o que tem que fazer. Desapegar é libertador. Mas, dói eu sei.
Lembro da dificuldade que senti quando comecei a minha fase de destralhe, e de cara percebi que jogar coisas estragadas ou velhas e que não serviam mais, era só a ponta do iceberg. O exercício tem graus de dificuldades diferentes.
Somos tão apegados a certos comportamentos e hábitos que nem nos damos conta. Carregamos sem perceber pensamentos que já não servem mais, conselhos e crenças que não fazem mais sentido, o que pode ser consertado, refeito, mudado, mas que já não nos cabe mais entende?


Por isso é tão importante (por mais doloroso que seja!) desapegar de recordações que machucam, de sentimentos e às vezes até de pessoas. Jogar fora o que te pesa e te afasta cada vez mais de você mesmo. É mais ou menos como destralhar a casa, chega uma hora da vida em que é preciso sacudir os tapetes, as cortinas, arrastar móveis e faxinar todos os pontos, em todos os cantos para que o novo seja bem-vindo quando a poeira sair, para que a mudança se concretize e a gente possa de fato sentir a leveza que dá na alma quando só fica o que realmente importa e nos faz bem.
Praticar o desapego não é uma tarefa fácil, mas a cada descarte nos sentimos mais leves, mais conectados com o universo nos lembrando sempre de que há espaço sim, para o que tanto buscamos. Só deve ficar o que realmente nos faz crescer e evoluir em direção ao nosso propósito maior de sermos nós mesmos em todos os momentos. Não deve haver espaço para restos; metades ou partes de nada nem ninguém.


Estou praticando e confesso que ainda é difícil, doído, sofrido, mas eu sei que vale a pena. Por mais e mais camadas de hábitos, sentimentos, pensamentos, ou crenças que foram se acumulando em todos os lados e cantos, acredito sinceramente que destralhar os poros esta valendo cada gotinha de suor.
Desapegar é deixar morrer o que for preciso para que entre mais vida na nossa vida.
Encerrar um ciclo. Inventar um novo começo.
E é desse espaço que a gente precisa. Ou não?

7 comentários:

  1. Eu não tenho dificuldades em praticar o desapego, de vez em quando faço um rapa e me desfaço de muitas coisas, crio mais espaço e deixo as coisas mais limpas, em relação a sentimentos já é mais difícil, mas não impossível este mesmo efeito de espaço e limpeza opera em nós. Abraços.

    ResponderExcluir
  2. Adorei a foto e o texto. Estou passando por uma fase assim e gostando muito, apesar de não ser sempre fácil. Mas até agora tem valido a pena!

    ResponderExcluir
  3. Oi, Yvone!
    De todo o apego que temos pelas coisas, esse parece ser uma forma de controle ou de posse. Até mesmo os sentimentos que nos puxam para trás e nos impede de ter um presente bom, bem vivido... Não temos mais controle sobre o nosso passado - ele pode estar dentro de uma caixinha bem guardada, mas o tempo se encarrega de esfarelar as lembranças, muitas vezes deturpando o real momento e lembramos apenas do que criamos em nossa mente ou que queremos preservar. Quantas das nossas lembranças existiram realmente? Se conversamos com alguém que passou pelo mesmo momento, essa pessoa terá outra lembrança desse mesmo momento. Já não possuímos as nossas lembranças... Se nos desapegamos delas quando envelhecemos e desmemoriamos, talvez seja para mostrar que o passado não importa e que lembrar dele a uma certa altura da vida, trás mais sofrimento que alegria.
    O que não nos deixa endurecer, é o nosso apego as pessoas que temos afinidades! Esse carinho é a mola que nos faz acordar todos os dias e procurar ter dias melhores, mas sem complicações. Um aconchego, um refugo, instantes de paz!
    Beijus,

    ResponderExcluir
  4. Oiii
    Desapegar de coisas ruins é necessário!! Assim como de coisas que não usamos... e de pessoas que não nos fazem bem!
    Tem concurso lá no blog... e gostaria muito de ver sua casinha linda participando e inspirando a todos!!!
    Beijão!

    "Construindo Minha Casa Clean"

    ResponderExcluir
  5. Palavras bonitas, Y. Desapegar é uma das tarefas mais difíceis que nós somos obrigadas a cumprir, concorda? É preciso saber balancear o que nós carregamos conosco e o que deixamos pra trás.

    beijo!

    ResponderExcluir
  6. Sempre prático, ou melhor, tento praticar o desapego, mas olha, não é fácil não!!! Bjs,

    ResponderExcluir
  7. Yvone, minha querida, estive afastada da blogosfera por um tempo, mas estou retornando aos poucos. Saudade daqui.
    Eu já lhe disse que tenho tentado exercitar o desapego. Na verdade desapego-me muito facilmente de xícaras lascadas e roupas que não me servem mais, mas ainda sou muito apegada aos meus livros e coisinhas da casa. Se um dia for me mudar para um lugar menor (como pretendo), aí será mesmo o momento de desapegar de vez.
    Quanto aos sentimentos ruins, dolorosos, acho-os insistentes. Mando-os embora, eles voltam. Mas a cada dia fica mais fácil eliminá-los de vez. Troco-os pela alegria da flor que plantei e brotou no jardim, a alegria do meu filho por começar a construir sua casa, a expectativa de noiva da minha filha... e sigo em frente.
    Abraço!

    ResponderExcluir

Fala que eu te escuto



Visualizações

Categorias