Se Meu Fuscas Falasse

Esse fim de semana o assunto que rondou aqui em casa foi carro. Por essa razão, aproveito para contar uma coisa engraçada sobre ese assunto. Um dos meus filhos, depois de uma temoporada morando fora do país, voltou para casa (no final do ano passado) determinado a comprar um fusca. Imaginem a minha cara de espanto. O garoto é cheio de nove horas (como diria papai), agora resolveu comprar um Fusca!!!!
O tal Fusca
É isso mesmo, ter um Fusca hoje virou Cult, passou a ser visto como uma proposta alternativa, no melhor significado da palavra.
Sabe aquele carisma de um belo exemplar da espécie...Marido ficou que nem doido caçando o tal do fusca, senti até uma ponta de inveja quando achou  e encaminhou o negócio pro garoto.
Tinha que ser do ano tal, com o motor tal, direção e assessórios originais e tal e coisa... Sei que o espécime tem 35 anos e só teve um dono - por todos esses anos, fafavô!

Fiquei tentando me lembrar do fusca, sim porque eu também um dia tive um, é que nem o primeiro sutiã, a gente nunca esquece, e lembrei-me dos filmes em que ele aparecia com aquela carinha parecendo sorrir para as pessoas – e, talvez por isso mesmo, acaba recebendo sorrisos de reciprocidade.
Mas isso nem sempre foi assim não. Lembro-me dos perrengues e das “saias justas” que passei a bordo do meu “fusquinha”. E nem é preciso voltar no tempo para recordar.
Era novo, o que já era motivo de orgulho, mas naquela época não tinha status nenhum, além disso, eu sempre o achei muito grandão na frente me sentia enlatada dentro dele.
Até bem pouco tempo atrás, um fusca era visto simplesmente como um fusca, por mais que estivesse bem conservado, era muito fácil perceber as caras de desdém - Imagina sair de um restaurante ou uma festa de fusquinha, “vai que o “velhaco” resolve quebrar no meio da madrugada”, cruz credo!

Desprezo maior, só mesmo das mulheres de olhares esnobes e, claro dos manobristas – ao menos dos “metidos” bares dos Jardins, tradicional reduto das patricinhas e mauricinhos da capital paulista. Já vi muito gente pagando esse mico, gastando buzina até que eles se prontificassem a tirar o pobre do “besouro” do meio da rua.
Hum acho que vou de vintage...
Moramos por um bom tempo no meio do mato repleto de caminhos e estradas de terra e pedras e fomos obrigados a comprar um Fusca, até para poupar um pouco nosso carro que já estava quase desmanchando - era sem dúvida o único carro que agüentava. Foi só após abandonar o civilizado asfalto e passar a conviver com aquelas estradas repletas de atoleiros que me rendi ao fusca.

Cansei de deparar na subida da serra com jipões e até - pasmem!- Land Rovers, atolados com mais da metade das rodas afundadas na lama. Passavamos rente ao importado 4X4 e ainda ofereciamos ajuda. Não vou tentar descrever a cara das pessoas nessas horas – principalmente das mulheres, ao ver aquilo, basta dizer que essa temporada recente de “Fusca” rende assunto até hoje.

O fusca azul calcinha acabou virando a casa das minhas cadelas, elas adoravam passear naquele carro, era a maior briga na hora de quem entrava primeiro - Acabamos vendendo quando voltamos para São Paulo,
Hoje depois que vi essas fotos abaixo cheguei a me arrepender de ter forçado a venda.
Daria ou não um belo arranjo para o jardim!

Sete Segredos de Beleza

Ganhei de presente o selinho dos sete segredos. Antes quero agradecer a Carla do blog Aprontando Artes e também à Lena Presentinhos, por se lembrarem de mim tão carinhosamente.



Sempre fui mais inteligente do que a média, o que não é nenhuma vantagem porque a média, para mim, é café-com-leite, esse que vende nas padarias(risos). Mas a lei da compensação fez com que eu não estivesse na lista das dez mais bonitas, nem da cidade, nem da escola, nem da classe, nem de nenhum grupo, inclusive os que só tinham 9 garotas.
De qualquer modo tenho lá alguns mandamentos que sempre que posso tento seguir.

Sete segredos de beleza
1. Bebo muita, mas muita água
2. Quando estou em casa lavo meu rosto pelo menos 4 vezes por dia
3. Nunca durmo com maquiagem
4. Fui mãe três vezes e nunca tive estrias, usava o famigerado óleo de amêndoa doce (para diminuir o cheiro enjoativo colocava meio vidro do óleo no meu creme hidratante de uso diário) mantive esse hábito até bem pouco tempo atrás, parece que deu certo.
5. Uso esfoliante no rosto no mínimo 1 vez por semana
6. Não como fritura, não tomo refrigerante, não como doces e carne vermelha muito eventualmente
7. Adoro o silencio da noite - Não levanto antes das 09h00min

Carla obrigada de novo - Cinco coisas que são “Roxie” ?! (sobre música, TV, cinema, 3 países, 4 cores e 3 hobbies)

1 – Gosto de jazz e de Blues e MPB
2 – Até bem pouco tempo não admitia nem pro meu travesseiro que adoro a novelinha das 8, sempre falo que a próxima não vou ver mas, é tudo mentira. Meu canal favorito é o GNT2.1 Filmes inesquecíveis: Como Água para Chocolate, a Festa de Babeti, A Vida é Bela e o clássico Casa Branca – Adoro filmes europeus, mas admito que Hollywood faça minha cabeça também.
3- Países que gostaria de conhecer: Espanha, Portugal (agora ainda mais, porque adoraria conhecer a Hazel) e Grécia4- Cores favoritas: Rosa, Branco e Lilás; adoro ainda o Verde de todos os tons e o vermelho e suas variações.
5- Hobbies: Escrever, trabalhos manuais (quase todos), plantas e animais, do blog... O dia que ele deixar de ser um prazer não escrevo mais.

Blog Maneiro - A Sutana , me deu mais esse de presente e disse que acha de verdade meu blog Maneiro...Tô me sentindo viu! Agradeço novamente o super "mimo".

Esse outro abaixo ganhei da Kellen do Reformulando Ambientes, essa menina vai longe viu! Visitem o blog que tenho certeza que vão concordar comigo.

Não vou repetir as regras e nem repassá-lo, para não ser repetitiva. Mas agradeço de coração à todas os “mimos”, recebidos.

Me despeço por hoje e desejo que tenham um excelente domingo e uma semana repleta de boas surpresas!

Tábua de Passar Roupas


Semana passada no blog Lá em Casa a Simone publicou uma dica da Pixu, que encontrou capas de tecidos diferentes para a velha e boa tábua de passar roupas.

É impressionante como todos os tecidos que vem nas tais tábuas são sempre tão horrorosos.
O fato que é que cansada de ver a minha tábua de passar, que é praticamente um enfeite, resolvi inventar uma solução para que essa peça (ainda) útil, também ganhasse algum charme.



Comprei uma de madeira de reflorestamento no Carrefour que paguei uma pechincha, tinta para artesanato, um pedaço de chita...
Mas, vou avisando já; eu odeio passar roupa.
O fato é que esse negócio de passar roupas era coisa do tempo de nossas mães e avós. Os tempos eram outros e, diga-se de passagem, que ninguém falava em ecologia e o termo sustentabilidade sequer havia sido criado. É bem verdade também que, naquela época, não se consumia tanto, até porque a quantidade de eletrodomésticos e eletrônicos em geral era bem menor do que hoje.


Mas como alguns (bons e maus) hábitos passam de geração para geração, muita gente nem chega a questionar a real necessidade por sua continuidade.

Passar roupas, por exemplo, não faço isso há quase sete anos, não há nada de mais. Em 99% das peças que lavo em casa, dou apenas uma alisadinha rápida e mesmo assim, quase na hora de usar.
Porém, quando eu conto isso para os outros, a reação costuma ser de total espanto. Como assim você não passa as suas roupas?!?!

Eis o que fui aprendendo com o tempo

- Quando tiro da máquina de lavar, dou uma chacoalhada nas peças, antes de estendê-las no varal. Camisas são imediatamente colocadas em cabides de plástico, assim, as fibras se soltam e a roupa seca mais esticada e, portanto, menos amassada. Se você mora em apartamento, para que pendurar as peça com um monte de pregadores? Eles marcam.
- Tente recolhê-las assim que estiverem secas, pois quando fica muito tempo penduradas, ficam difíceis para passar, além de danificá-las. O calor do sol pode tirar a luminosidade da peça, por isso sequem-nas penduradas à sombra, as rendas e a lycra deformam sob o sol ou secadoras;

- Depois procure dobrá-las com muito cuidado, para que fiquem já bem esticadas, não é bom dobrar muito, assim evita que amassem mais, isso vale para todos os tipos de peças, menos para camisas sociais, essas devem ir diretamente para o cabide, com certeza te darão menos trabalho na hora de passar;

- Os sprays ou as águas de passar prolongam nas roupas o cheirinho de recém-lavadas. Além disso, quando borrifados, deixam o tecido úmido. Isso ajuda o ferro a deslizar. Eu indico: Há ainda uma receita caseira que aprendi com a nossa passadeira Maria José: Junte um copo americano de amaciante, outro de álcool e complete o aplicador com água e agite bem. A receita foi testada e aprovada.
De olho no planeta e no seu bolso

O ferro de passar roupas é um dos aparelhos domésticos que mais consomem energia elétrica (cerca de 8% a 12%). Em tempos de combate ao aquecimento global, quem diria que andar por aí ligeiramente amarrotado poupa o planeta, o seu dinheiro e o seu tempo.

- Não passem a ferro, os tecidos dos lingeries que hoje são de boa qualidade dispensam o ferro.

- Cá entre nós, para quê passar toalhas, lençóis, fronhas e meias? No inverno, então, uma camisa um pouco amassada por baixo da blusa de lã não faz mal a ninguém. Nem você vai se lembrar desse pequeno detalhe.

Prendadas (os), não percam seu precioso tempo com tarefas que podem ser dispensadas e ainda trazer inúmeras vantagens.
Os tecidos de hoje possuem tecnologia. Alguns, inclusive, são fabricados para dispensar o ferro de “engomar” e, na hora de vender, essa vantagem vira até diferencial de mercado.

Então, aproveite! Esqueça o ferro de passar!

ECOnotas

Alimentos Orgânicos

Todos sabem dos benefícios de se consumir produtos orgânicos, mas poucos sabem aonde encontrá-los regularmente. Para quem não experimentou há feiras livres e pontos de vendas que comercializam alimentos orgânicos em quase todo o país.

Abaixo deixo alguns endereços em São Paulo e indico uma feira em especial que é a Feira do Parque da Água Branca - Acontecem todas as terças, sábados, e recentemente ao domingos.


No local da feira, são mais de 100 pequenos produtores que levam os mais diversos alimentos e o mais importante, todos orgânicos e certificados. A grande vantagem dessas feiras é poder comprar os produtos a granel, evitando o excesso de embalagens e o desperdício, por um preço bem mais em conta que nos supermercados e ainda ter o contato direto com o pequeno agricultor. Sem contar que dá para beliscar quitutes, pechinchar…

Além da feira , que é uma delicia, tem o parque que eu tanto brinquei quando era criança e que está cada dia mais belo.




Visitem o portal Pick upau que lista quem vende produtos orgânicos no Brasil, e aproveitem para conhecer o portal que também é repleto de informações e dicas atuais para ajudar a entender o Meio Ambiente por INTEIRO.

Cestas de Alimentos Orgânicos e Agroecológicos

Conheci semana passada através do meu filho, um projeto novo que trabalha em com o intuito de fomentar a construção de uma Rede de Consumo Coletivo e Cooperação Econômica na região metropolitana de São Paulo pautando-se pelos princípios da Economia Solidária, Comércio Justo, Consumo Consciente e Agroecologia, trata-se do Projeto Circura.

O Núcleo Circura junto à Rede Sementes de Paz trabalha em parceria com pequenos produtores de alimentos orgânicos de forma cooperada ou associada, com objetivo de conectar pessoas interessadas em direcionar os seus recursos financeiros para práticas sustentáveis que beneficiam pequenos produtores (agricultura familiar), preservando o meio ambiente e promovendo a saúde alimentar através de produtos orgânicos livres de insumos químicos como pesticidas e fertilizantes.

Experimentei a cesta de alimentos orgânicos que estava impecável, e o preço, que até hoje não vi mais barato na cidade de São Paulo - tenho acompanhado vários distribuidores, feiras etc.
Cesta de Feira – 2 tipos de folhas, três tipos de legumes/raízes, três tipos de frutas – R$ 20
Cesta Família – 3 ou 4 tipos de folhas, 5 tipos de legumes/raízes, 5 ou 6 tipos de frutas – R$ 40
Possuem também uma lista de Secos & Molhados e entregam para quem esta nas imediações.


Rede de Compras Conjuntas

Toda quarta feira no bairro da Pompéia e Cambuci
Peça a sua pelo e-mail
circura@yahoo.com.br – tel. 8346 4776
Endereços de mais feiras que vendem alimentos organicos em São Paulo-SP

- Feira do Mercado Municipal de São Paulo
Rua Cantareira – Centro
Essa acontece no pátio do estacionamento
Dia: sábado

-Feira de Produtos Biodinâmicos (Santo Amaro)
End.: Rua da Fraternidade, 156 - Santo Amaro
Dia: quinta

-Feira Estádio do Pacaembu - Praça Charles Miller
Dia: sexta

Feira do Ibirapuera
End.: Rua Tutóia (estacionamento da Igreja do Santíssimo Sacramento) - Vila Mariana
Dia: domingo

-Santana do Parnaíba (Antiga Feira de Alphaville)
Av. Vênus, em frente ao Nº14 – Centro de Apoio II
Dia: terça

Nossa saúde também agradece!

É pau, é pedra...






É pau, é pedra, é o fim do caminho
É um resto de toco, é um pouco sozinho
É um passo, é uma ponte, é um sapo, é uma rã
É um belo horizonte, é uma febre terçã
São as águas de março fechando o verão
É a promessa de vida no teu coração
Pau, pedra, fim, minho
Resto, toco, oco, inho
Aco, vidro, vida, ó, côtche, oste, ace, jó
São as águas de março fechando o verão
É a promessa de vida no teu coração.
Para fazer em casa


É um resto de mato na luz de amanha...


Se sobrar restos de renda...é um passo, é uma ponte...

Reusem, Reinvente, Recicle

Reciclar não é apenas separar papéis, latas, plásticos e metais. Coisas que seriam jogadas fora podem fazer bonito na decoração da sua casa, além de serem úteis.
Olhar para a própria casa e enxergar novas possibilidades para a mobília que você já tem é uma atitude muito verde.

São inúmeras as possibilidades de adaptação. A imaginação é o limite e é possível adaptar os objetos de acordo com o ambiente, sem descaracterizá-los. Muitas vezes com uma pequena interferência você muda totalmente a “cara”.

A maioria dos móveis de meu apartamento aqui em São Paulo é antiga. Muitos seriam jogados fora pela família, outros foram comprados em brechós. Aos poucos tento recuperar e deixar com cara de novo; - mudo a pintura, troco as maçanetas, e puxadores e assim gasto pouco e ainda modifico a casa toda hora, para não enjoar. Ou então dou apenas um novo uso. Gosto de peças antigas, minha casa é mobiliada ecologicamente, mas confesso que aconteceu por acaso.



Olhar para os objetos com segundas intenções já virou mania.




Acerte na Cortina

Essenciais numa casa as cortinas têm tripla função: protegem os móveis do sol, garantem aconchego e ainda “levantam” o ambiente.
Em uma conversa recente com uma grande amiga profissional no ramo de cortinas e estofado há mais de 25 anos, cheguei a esse post – É pura informação e sem jabá.
Como comprar o tecido:
- Na hora de sair a campo a primeira providência é recolher muitas amostras. - Leve-as para casa e verifique as que combinam o estilo do ambiente e claro, com o seu estilo.
- Se você ainda não tem segurança total do que pretende quanto mais neutro o tecido melhor. Definidas as amostras informe-se sobre as suas características: o tecido pode ser lavado? Encolhe? Qual a sua durabilidade? Desbota ao sol? O ideal é que ele seja resistente e possa ser lavado em casa. Assim você foge de uma conta exagerada na lavanderia.
Natural x sintético
Os tecidos 100% naturais têm o melhor caimento, além de uma variação razoável de texturas, espessuras e transparências. Mas tendem a encolher especialmente o algodão e os linhos. Sempre que possível fique com os pré-encolhidos. Ao lado das sedas o algodão e o linho são os preferidos para as cortinas.

Mas não descarte os sintéticos – tecidos de poliéster e de viscose, os acrílicos e os tecidos mistos, ganharam qualidade com as novas tecnologias como não encolhem podem ser lavados em casa.
Preço Há no mercado inúmeras opções que atendem a diversos gostos e bolsos quando o objetivo é economizar, a cortina mais indicada é aquela presa por alças do próprio tecido. Prefira também tecidos com 3 metros de largura, pois essa medida é usada na altura.
Como calcular
Cortinas são calculadas por altura que corresponde à medida do pé-direito e mais 50 cm (para a barra e o cabeçote).
Para cada metro de janela (largura) são necessárias duas alturas.
Um exemplo: para uma janela de 2 metros de largura num ambiente com o pé-direito de 2,5 são necessários 12 metros de tecido. 2 alturas(6m) x largura(2m) = 12
Para tecidos mais encorpados como o linho multiplique o numero total por dois. Já no caso dos tecidos finos como o voal multiplique por três - assim, a peça fica com mais volume isso se a intenção for essa porque hoje as cortinas são bem mais “sequinhas”.
Fique atenta
Antes de sair para a compra do tecido também é importante que a função da mesma esteja definida - Se o objetivo é ter luminosidade os tecidos mais indicados são os claros ou transparentes, como gase, linho, organdi, voal e chiffon. 
Quando se deseja ausência de luz ela recomenda os tecidos grossos – linho puro, seda rústica, brim e lona ou Black-out como forro.

Forro? Sim ou Não
-Ele deixou de ser um quesito obrigatório.
Considere a sua necessidade: o forro amplia a vida útil da cortina protegendo-a do sol, da sujeira e da poluição. Em algumas situações seu uso é imprescindível. Cortinas coloridas, por exemplo, tendem a desbotar quando expostas ao sol. As de seda também pedem uma proteção extra para não se desgastar em pouco tempo.
Tecidos como tergal verão, algodão, microfibra e o gabardine são ótimos e resistentes – Economize no pano: o forro não precisa ser farto pode ficar discretinho. Forros é um bom recurso para dar volume e bom caimento a um tecido nobre como a seda.
Cuidados indispensáveis:
Livres do pó
Fazer durar suas cortinas demanda providências simples porém periódicas.
Muita gente esquece mas a primeira delas é usar o aspirador de pó.
Proceda a essa limpeza a cada quinze dias utilizando o bocal escova para não danificar o tecido com a sucção.
Já a lavagem deve acontecer a cada seis meses para o forro, e uma vez por ano para a cortina. Se o tecido permitir lave-o em casa com sabão neutro. Ponha-o de molho de um dia para outro trocando a água três vezes: a primeira, com apenas vinte minutos de molho para que o pó não tinja o tecido. No dia seguinte acione o programa para tecidos delicados. Deixe secar naturalmente. Se a cortina tiver rodízios envolva-os em um pano para não os estragar.
Já para os tecidos naturais como seda, linho e algodão pedem cuidados especiais eles estão sujeitos a encolhimento e desbotamento. Por essa razão ela aconselha a lavagem em locais especializados.
Clique nas imagens para ver melhor o trabalho da Rita Para quem desejar ter uma cortina bem feita que levante qualquer ambiente a preços honestos e com qualidade...
Eu indico e assino embaixo: rita.cortinas@hotmail.com


Visualizações

Arquivo

Categorias