Resgate a simplicidade

Tenho me perguntado com muita freqüência, se deveria escrever mais sobre desapego. Elaboro um texto com todas as variáveis que apliquei sobre essa caminhada até aqui e tudo que me lembrasse. O menos continuaria a tomar conta dos armários da cozinha, da sala e de pessoas. Tudo o que restaria seria fundamental. Um conceito que se definiria com base naquilo que eu considero essencial. Poderia escrever sobre isso, sem nenhum problema. Contar como há mais espaço à minha volta, falar sobre o que eu continuo dispensando e doando, sobre o que eliminei e apaguei, mas ando distraída.
Como posso escrever sobre as vantagens do desapego, quando os meus dias estão envoltos em conversas que não quero que acabem, experiências que me abrem mais horizontes e estados que me fazem ansiar por mais, e não por menos. Cheguei à conclusão que não o poderia mais fazer.
Por isso, sem mais, nem menos, faço deste texto uma espécie de nota de apresentação ao que está para vir.
Aos momentos que enchem os meus dias.
Aos recantos que me enchem de inspiração.
Ao conhecimento, à calma e à beleza.




 Muita gratidão!

11 comentários:

  1. Ainda que tenhamos facilidade ao desapego, às doações, há coisas que não queremos perder ou ver longe de nós. Adorei te ler, adorei as fotos todas! Gratidão faz bem SEMPRE! bjs, chica

    ResponderExcluir
  2. Ah Chica o prazer é sempre meu de receber você aqui. As fotos são um pedacinho dos encantamentos que é impossível desapegar. A gratidão é também por todas as nossas fases “lagartas”. Um beijo grande. Yvone

    ResponderExcluir
  3. Ypsilon,

    Fotos muito bonitas.
    Estou na fase do seu post, o desapago, por isso, criei um blog para vender algumas coisas que tenho aqui em casa, mas que não uso mais. Se quiser conhecer:
    Vendas Diversas 2018

    Um bom final de semana!

    ResponderExcluir
  4. Olá \o/
    A vida seria bem mais prática e leve,
    se tivéssemos só o essencial.
    Desapegar faz bem...
    Coisas em demasia e entulhadas,
    carregam o ambiente e o espírito.
    É preciso muita disciplina para revisar o que
    é útil para nossas vidas!
    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Clau a caminhada é longa e solitária, mas compensa muito ter andar mais leve e tirar o peso dos armários, da casa e da vida. Um abraço

      Excluir
  5. Esta tua reflexão é bastante interessante, porque, de facto, o desapego torna-se essencial, mas às coisas das quais não nos queremos desapegar.

    r: Ainda só vi o primeiro episódio de "La Casa de Papel", mas já me prendeu :)
    Essa não conhecia, obrigada pela sugestão!

    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Andreia La Casa de Papel não deixa a gente querer de assistir episodio apos episodio. Entre o tempo e costuras é sensacional.Assista e depois me conte. bj

      Excluir
  6. Belas fotos!
    Precisamos de mais momentos assim em nossos dias.

    Abraços,
    Simplicidade e Harmonia

    ResponderExcluir
  7. Oh q delicia de imagens!!
    Essa lindinha é sua neta?

    bjus
    ana

    ResponderExcluir
  8. Oi Ana é sim. A doce valentina. Prazer receber vc de novo. Bj

    ResponderExcluir
  9. Penso que é normal isso, Yvone... desapegar-se do que é supérfluo, mas não abrir mão do essencial. Estou às vésperas de me tornar avó e quero cada dia mais apego aos livrinhos infantis que quero ler para a minha neta, aos brinquedos, no sótão, para que ela se diverta com eles... no mais, apenas o essencial nos armários e na vida. Adorei suas fotos! Abraço!

    ResponderExcluir

Fala que eu te escuto



Visualizações

Arquivo

Categorias