Como enfrentar uma obra sem arruinar seu casamento

Quem já construiu ou reformou sabe bem do que estou falando. Por experiência própria e de outros, as histórias mostram que desavenças entre casais durante esses momentos são mais comuns do que imaginamos.
Conversar, barganhar e ceder é fundamental para que a união não termine em escombros.

Começa assim:
- O pedreiro tinha um amigo vidraceiro, que conhecia um excelente pintor, que por sua vez era irmão de um serralheiro, e por ai vai.
Infelizmente essa é a forma escolhida pela grande maioria das pessoas, quando começam a montar seu exercito de profissionais para reformar sua casa.

O mesmo também acontece quando se trata de uma construção, que implica ainda mais em maiores gastos e cuidados que nem sempre levamos em consideração.

Se não houver um bom planejamento, responsabilidade e bastante entendimento, a obra vira uma guerra que, no final, acaba arruinando a sua saúde e pode até demolir seu casamento.

Um dia enquanto construía a minha casa na serra (projeto para uma pequena pousada), a arquiteta insistia em instalar a bancada da cozinha na altura que ela julgava adequada.
- Mas dona fulana, não quero nessa altura tão alta.

Num outro momento, depois de negociar horas com a sua equipe, eu ouvia as criticas do meu marido. Ele questionava minha capacidade de gerenciar a obra e o clima da construção era um cenário de novela mexicana.

Os orçamentos extrapolaram a previsão inicial, os prazos não eram cumpridos e eu e meu marido discutíamos por tudo.
Até que chegou o dia que ele tomou partido da arquiteta na frente dos peões e eu disse que só voltava ali no dia em que a obra terminasse! O caos se instalou.

Ao reformar uma casa, o estresse de querer ver tudo pronto de saber se todos vão gostar do resultado faz com que haja ansiedade e raiva. Quem paga por isso são as pessoas que estão próximas, como os filhos e o companheiro (a).

“Para quem está querendo se divorciar, arrumar uma obra já é um ótimo começo."
Já acompanhei diversas reformas e cheguei à conclusão de que essas crises acontecem porque geralmente o homem está mais preso aos custos e a mulher tem o foco de atenção voltado aos resultados estéticos. - Mas é a senhora por acaso quem vai cozinhar? Ainda tive que engolir essa. Fafavô!

Difícil conter a irritação de um marido que se sente gastando uma fábula, enquanto a mulher só parece preocupada com a cor da parede.

Em grande parte das reuniões com os casais, noto que o homem inicialmente deixa claro que será a mulher quem ditará as regras da obra – para, num segundo momento, tomar ele as rédeas.
A estratégia masculina é começar com cavalheirismo, continuar com palpite aqui e acolá e acabar conduzindo a obra.

Por isso, quando contratar um arquiteto preste bem atenção se o profissional é experiente e veste a camisa de psicólogo também (risos) - Tô falando a mais pura verdade.

Recentemente, conversando com uma amiga que é psicanalista sobre porque acontece esse tipo de conflito ela disse que a nossa primeira casa é o útero materno. De acordo com ela (os estudos), o espaço arquitetônico reflete o inconsciente, o mundo interno de cada um. Diz ainda que algumas brigas durante as construções e reformas são reveladoras de um estado emocional pouco adulto.
“As dificuldades em fazer uma obra a dois muitas vezes está ligada à dificuldade de renunciar a uma posição narcisista e infantil”, teoriza.

Eu já acho que às vezes as pessoas buscam arrumar a casa, mas querem mesmo é mexer nelas mesmas.

Já vi casais brigarem em uma loja comprando interruptores na frente dos vendedores.
A mulher ficou tão nervosa que largou o marido e o vendedor falando sozinhos.
O segredo me parece ser saber ceder sem se anular ou anular o outro.
Ai vão algumas dicas
- Antes de começar, converse e veja o quanto cada pessoa da família está disponível, quando tempo e esforço podem ceder para a obra - Gosto muito do jeito que observo a obra da Leila Casa da Bruxinha, do marido, da Francine... Parecem tão unidos e envolvidos...
Tem o exemplo também da Izabel Casa de Juntados, eita maridão que faz de tudo viu!
- Nessa hora também é bom decidir se todos estão dispostos a continuar na casa durante a reforma ou se seria melhor alugar um espaço provisório.
Fiquei muito arrependida de não ter saído do meu apartamento (pela ocasião da reforma); o pessoal falta muito, tudo atrasa e você ali vivendo no meio do caos, da falta de privacidade em meio a sugeirada...

- Cada pessoa deve decidir como quer seu espaço, o quarto, o escritório por exemplo.
- Procure arquitetos que estejam empenhados em ajudar a família a lidar com o stress emocional da reforma ou construção.
- Estabeleça os deveres de cada um e divida as tarefas. O importante é que todos se envolvam com a construção (nos melhores e nos piores momentos dela).
-Faça reuniões para compartilhar as tensões da reforma e negociar as mudanças imaginadas.
- Engenheiros e Arquitetos – Previnam-se;
Antes de contratar esses profissionais, consulte o CREA para averiguar os serviços já prestados pelo profissional e se não há reclamações registradas ali. Essa pesquisa é simples, rápida e evita uma série de dores de cabeça pelo caminho.
- Façam um contrato por escrito com os profissionais e deixe claro no documento todas as responsabilidades do engenheiro ou do arquiteto e também quem são os outros empregados. Sem esse documento fica praticamente impossível provar erros do responsável.
Reclamar pode, mas processar sem documento...

- Elaborem um cronograma com datas e gastos previstos para cada fase (fundação, estrutura, hidráulica e elétrica).
- Memorial descritivo, relacionando todos os trabalhos que serão feitos e os materiais a serem usados, desde a fundação até o telhado.
- Mantenha um diário da obra que documente todo o andamento dos serviços.
Fotos – Fotografe tudo desde o inicio, as fotos comprovam quanto da obra foi realizado.
- Guardem todas as notas (lá terá especificações de todos os materiais, cores de tintas especiais...), sem contar que vai saber tim tim por tim tim o que relamente gastou.

Importante:
Se o casamento já está em crise, não comece uma obra. Conserte o relacionamento e depois a casa.

27 comentários:

  1. Santinha! Adorei a tua discrição, já vi muitos casais separarem depois de uma reforma.È aqui no prédio tem reforma a cada tres meses, a ultima a louca da mulher destruiu o apto todo, derrubou parede, bom foram seis longos meses,eu já estava indo embora porque não aguentava mais o barulho.Nâo quero nem começar, isso que eu estou precisando fazer algumas reformas, mais não tenho coragem. Uma boa noite para ti beijocas Ana Lucia

    ResponderExcluir
  2. Santinha! Adorei a tua discrição, já vi muitos casais separarem depois de uma reforma.È aqui no prédio tem reforma a cada tres meses, a ultima a louca da mulher destruiu o apto todo, derrubou parede, bom foram seis longos meses,eu já estava indo embora porque não aguentava mais o barulho.Nâo quero nem começar, isso que eu estou precisando fazer algumas reformas, mais não tenho coragem. Uma boa noite para ti beijocas Ana Lucia

    ResponderExcluir
  3. Estou rindo muito!
    Quem tocou a construção da minha casa foi meu marido. Eu morava em outra cidade e só chegava no fim de semana... já viu, estress total!
    Te digo, só não nos separamos porque somos muito unidos. Porque além do estress da obra, tem o depois, ficar sem dinheiro por longoooos anos (no meu caso) por investir o dinheiro passado, presente e futuro em sua casa!
    Aja ansiolítico!
    Ah, no meu caso, eu não perdi o marido mas a "melhor amiga" que ia fazer o projeto de interiores e simplesmente não entregou a tempo apesar de ter recebido por isso!
    Beijos
    Lu

    ResponderExcluir
  4. Aiaiaimeussais !!!

    E eu fazendo projeto de reforma... rsrs Mas Deus é pai e vai dar tudo certo !! :-)))

    Adorei as dicas !

    ResponderExcluir
  5. Adorei o post, realmente deve ser um caos, mas o que mais gostei foi da última frase, afinal não adianta reformar a casa se o casamento pede uma reforma mais urgente!
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Oi Yvone, sou nova aqui no seu blog e me identifiquei de cara com esse post. Minha obra acavbou de terminar e meu noivo e eu NUNCA tínhamos brigado até o início dela!rs
    Lá em casa nem era estética x economia..O problema era que cada um queria decorar de um jeito!rs
    Quanto aos profissionais de obra, lá em casa é bem ao contrário. Quem fica de frente com todos eles sou eu. As vezs me sinto sobrecarregada, mas tenho que adimitir que meu noivo não sabe fazer prevalecer a vontade dele perante o profissional. Ele parece que não quer "aborrecer" a pessoa e acaba me aborrecendo.rs
    Bem, tô adorando seu blog. Quando quiser dar uma passada no meu, sinta-se á vontade :)
    Bjuus

    ResponderExcluir
  7. Ai Yvone,
    ótimo o seu texto!!! Adorei!
    Já vi várias brigas... sou arquiteta e acredite tem cada coisas que acontece! mesmo as minhas amigas contando os "causos". No meu caso, graças a Deus, ele entregou na minha mão e falou vá em frente. Eu sou a chata, a que chora por preço, a que xinga pelo orçamento estourado, ou porque está torto o batente... Ele é bem mais mão aberta do que eu, tivemos duas discussões durante a reforma, uma por causa do chuveiro que ele escolheu (q estourava o orçamento em 200 reais... mas agora preciso dar razão a ele, é realmente tudo aquilo que prometeram e mais um pouco) e por causa do box (q eu só queria que recolocassem e ele queria trocar o alumínio... falei pra ele que vamos trocar TUDO daqui a pouco, quando tivermos a verba total, por enquanto ele está bom e chega... morreu o assunto e ele nem percebeu nada sobre o alumínio).
    Tem aborrecimento, tem... tem decisão chata, tem! tem problema de orçamento... claro que tem. Mas é um mal necessário. Eu particularmente adoro. Sempre to mexendo alguma coisinha (se não to mexendo, to pagando... kkkk!)
    Beijos
    lelê

    ResponderExcluir
  8. Yvone, quem ja nao viveu uma situaçao dessas? Qdo penso em iniciar uma reforma ,ja tenho vontade de desistir pqas desavenças serao inumeras,exatamente como vc retratou acima,e esta sua ultima dica é realmente importante.
    bj
    Susi

    ResponderExcluir
  9. Hahaha! Nem me fale, aqui em casa, com uma reforma interminável, já vi de tudo. A última do marido? Queria construir um mini laguinho pra criar carpas. Me deu vontade de afogá-lo no lago que ainda nem exstia e se depender de mim, não existirá nunca! rsrsrs


    beijos

    ResponderExcluir
  10. Adorei suas dicas e assino embaixo, olha que sou arquiteta, toco obras e já presenciei cada briga,rsrsrs
    Mas tenho uma satisfação enorme de poder ser arquiteta e meio que analista, pq sem dúvidas preciso sempre ouvir o lado dos clientes, entrar na intimidade é complicado, tudo deve ser feito com carinho, harmonia e muito profissionalismo.
    Sou uma nova blogueira, faça me tb uma visitinha e deixe lá um recadinho seu, manteremos contato.
    beijos
    Simone Santos

    ResponderExcluir
  11. amei esta matéria. estamos no término da obra na nossa casa e as brigas a cada dia aumentam mais, sempre q vamos escolher alguma coisa é incrível isso kkk. amei mesmo.

    bjossss...

    ResponderExcluir
  12. Oi Yvone!
    Obra não é pra qualquer um não! Eu também passei por todo este estresse, e olha que minha casa foi toda feita pelo meu pai!
    Eu fquei acompanhando tudo de perto, e ajedei fazer muitas coisas: envernizei portas e janelas, rejuntei pisos, retoquei os cantos das paredes... A pia lá em casa também foi um dilema: eu falei que queria a altura confortável pra mim, e não a altura padrão das coisas!
    Minha cunhada tem 1,5m de altura, e a pia dela é nas alturas por se altura "padrão". Ela quase tem que subir num banquinho! Ora essa! Fazemos a casa pra gente usar ou para os outros?
    Vai colocar isso na cabeça dos porfissionais!

    Um lindo dia!
    BjOs da Re.

    ResponderExcluir
  13. Yvone,
    Reforma é o cáos, principalmente quando se fica na casa.
    Tive muitos problemas com o pessoal da reforma, mas com o marido (que é tranquilo) não.
    Reconheço, contudo, que seu post reflete bem a realidade. Ele está ótimo!
    Beijo.

    ResponderExcluir
  14. Eita, lelê!!!
    Boas dicas, hein?
    Aqui em casa até que marido e eu nos demos bem. Vamos ver se passamos na próxima prova, porque nesta Sexta começaremos uma pequena saga para resolver uma infiltração por aqui...

    ...ai, ai...

    ResponderExcluir
  15. Que verdade vc escreveu, Yvone!!!
    Passei por uma construção e se nosso casamento não fosse forte, teria sido demolido com a casa que reformamos... vc tem toda razão!

    ResponderExcluir
  16. Yvone adorei o post de hoje e tudo isso acontece mesmo, pois eu ja presenciei brigas de clientes meus na minha frente, com o meu marido também já deu um monte de brigas mais sempre que toca a obra sou eu e ele só vai tesourando os gastos, não tem jeito não.
    Agora o contrato é super interessante fazer até mesmo com o Designer mesmo para uma decoração de dois comodos somente. Bjss.

    ResponderExcluir
  17. Depois disso tudo acho que vou pagar umas cadeiras de psicologia no curso! rsrsrsr...
    Adorei o post!

    ResponderExcluir
  18. Querida
    Oiê, sei que estou em divida contigo, devendo na verdade uma visita no seu blog, mas estou numa correria só no serviço, além dos preparativos do meu casório.
    Prometo voltar.
    Bjs

    ResponderExcluir
  19. Hahahaha.. sou fã incondicional do seu texto vc sabe né? rs

    Olha ainda não briguei... sabe pq:??? te conto o segredo:

    - não comecei a obra ainda! hahahahahaha, mas me aguarde... ce me promete um ombro amigo? uns lencinhos de papel? promete? rsrsrs

    Bjs

    ResponderExcluir
  20. Isto é um dossiê mulher !!! rs
    Vc caprichou !!! Ainda bem que aqui em casa nós sobrevivemos a isto !!!
    beijim

    ResponderExcluir
  21. oi minha querida
    se tem uma coisa que abala uma relação é a situação financeira,rsrs.
    mulher meu casamento é em dezembro, por isso ando numa correria tentando organizar tudo sem gastar muito, pois a gente tem grana não,rsrs...
    mas vamos pra frente e tudo dá-se um jeito.
    amei sua visita, saiba que pra mim é sempre um ahonra.
    beijos
    beijos

    ResponderExcluir
  22. Olá!!!
    Descobri hj o blog e adorei!!!
    Bjs

    ResponderExcluir
  23. Acabei de ver pelas postagens anteriores que eu já conhecia aqui sim rsrsrsrs, mas agora estou seguindo pra não ter mais erro rsrsrs!!!
    Bjs

    ResponderExcluir
  24. Oi Yvone, adorei as dicas deste post. Eu digo lá em casa que a nossa sorte é meu marido saber fazer tanta coisa. Acredita que até cerâmica ele está aprendendo a assentar? Foi ele quem assentou a ardósia na parede de minha varanda! Acho que se ele não soubesse fazer tanta coisa iríamos brigar mais ,poir gastaríamos mais dinheiro. De vez em quando surgem algumas divergências entre nós, mas não nos abalamos por isto. Discutimos, chegamos a um acordo e logo está tudo resolvido. Nós dois não gostamos de brigas e discussões, somos bem tranquilos quanto a isto. Beijocas

    ResponderExcluir
  25. Que dicas preciosas!!!
    Estou em meio a uma reforma! Tipo: acampada na sala com todo o resto da casa em frangalhos!!!! Acho que vou enlouquecer!!!!
    Maura

    ResponderExcluir
  26. Menina , você é a unica pessoa npo mundo que consegue dizer o óbvio que ninguém quer enxergar!
    Conserte o casamnto, depois a casa.
    Perfeito!
    Voltaei sempre aqui!

    ResponderExcluir

Fala que eu te escuto



Visualizações

Categorias