Comida de verdade

Eu sei que o outono já está quase no final, eu pretendia publicar esse post no começo de maio, mas como alguns podem perceber o blog esta de cara nova. Depois que desacelerei por aqui tenho tido dificuldade em me organizar para manter a rotina do blog. Como esse é o espaço que comento sobre o movimento natural das coisas da vida, tento não me cobrar tanto nesse sentido, porque às vezes é normal a gente se complicar, mas nunca é tarde para recomeçar e buscar inspiração. Por isso esse post precisava vir ao ar, porque sei que muita gente gosta de ler sobre pequenas coisas que fazem diferença em nosso dia a dia.
Eu sempre tento fazer alguma mudança na casa de acordo com a estação do ano. Sei que nem todo mundo mora em um lugar com estações bem definidas, mesmo em SP nem é tão rigorosa essa definição, ainda sim acredito que nós podemos sempre criar rotinas diversas, que nos ajudam a renovar o espírito e encarar as coisas de acordo com o próprio ciclo do tempo.
No que se refere à alimentação, já há algum tempo venho preferindo não comer na rua e a cozinhar mais simples e mais saudável.

Portanto a cada mudança de estação, além de planejar cardápios com alimentos da época, gosto de trazer alguns elementos que me ajudem a sentir melhor esse clima, de acordo com as mudanças da natureza.
A natureza é sábia. Comer os frutos da época que a natureza oferece é consumir com sabedoria. 

Comida de verdade para mim são aquelas coisas vivas, sem logotipo, que apodrecem se não preparar rápido e têm nome simples.
Aliás, a regra de ouro quando se fala em comida de verdade é: Vá ao mercado ou à feira livre, compre ingredientes e prepare a sua própria comida (de verdade). Essa é a ideia.
Além disso, tenho dado preferência àqueles que foram produzidos na região, frescos se possível orgânico - Comida de verdade não vem em caixinhas.

Nesta época do ano, sempre me vem à vontade de refeições mais reconfortantes e o conceito comfort food tem relação direta com as refeições caseiras, como faziam nossas mães, avós, tias ou pessoas próximas.
Algumas receitas possibilitam essa experiência que resgatam memórias gustativas, nos levam de volta ao passado e propiciam conforto e aconchego.
Dica importante
Alguns legumes, tais como chuchu ou abobrinhas, por conterem muita água em sua composição, praticamente não precisarão de água extra para o cozimento, não importam a sua forma de preparo (se refogados, ou não). Se precisarem, será de um mínimo e, assim, apenas "pingue" água aos pouquinhos e não mais que o estritamente necessário, para que não fiquem encharcados; Essa DICA vale, inclusive, para o cozimento daqueles legumes que você quiser empregar em saladas, tais como couve flor, brócolis, cenouras, etc.
Atenção:
Legumes cozinham bem rápidos (claro que dependendo, também, da quantidade), mas entre 3 e 8 minutos, após ferverem. Por isso, fique por perto!
Para obter legumes ou verduras mais verdinhos durante o cozimento, coloque uma 1 colher rasa (café) de sal e 1 colher (café) rasa de açúcar, enquanto cozinham (medidas para cerca de 2 copos de água - adéqüe à quantidade de água que for usar).
Como já dito, não os deixe cozinhar demais, para não ficarem amarelados (deixe-os "al dente", ou seja, cozidos, porém firmes).

Deixe para colocar o resto do sal necessário (a gosto), após estarem prontos.

Deixo abaixo os links de alguns blogs que eu gosto de visitar de algumas dessa receitas que testei e deu super certo.
As receitas são simples, quase sempre feitas a olho, exigindo imaginação e amor no preparo. Já aviso logo; sem amor não fica boa de jeito nenhum.

E a sua comida de verdade, qual é?

4 comentários:

  1. Adorei o blog novo e o post amei! Tudo de bom comer saudável!
    Também acho que comida se tempera com amor, de minha parte adoro cozinhar e aproveitar o que o alimento tem de melhor... Meu tempo é escasso, mas se faço, faço com muito carinho!
    Beijos e bom fim de outuno!

    ResponderExcluir
  2. Também tenho cozinhado, Yvone. Desacelerei aqui também. E estou muito mais feliz. Bjka

    ResponderExcluir
  3. Oi, Yvone!
    Tenho a impressão que o sal "evapora" quando colocado na água, pois a quantidade é sempre maior do que a que colocamos após os legumes cozidos. Uso bastante cozinhar no vapor e faço isso enquanto cozinho o arroz. Dificilmente refogo legumes em manteigas ou óleo, preferindo temperá-los com azeite e deixar que naturalmente esfriem. Quando não consumido, reservo para uma sopinha ou caldo. Podemos ter alimentação saudável o ano todo!
    Consumir alimentos fora de época é burrice. Eles forçam a terra e crescem com poucos nutrientes. A natureza sabe que no verão e primavera são folhas e no outono e inverno são legumes que serão ofertados. Precisamos aprender a ajustar o nosso relógio biológico com as estações!
    Beijus,

    ResponderExcluir
  4. Delícia de texto, Yvone! E o blog está muito mais charmoso!
    Hoje para o almoço piquei um punhado de legumes que cozinhei no caldo da carne que fiz na quinta e que havia guardado num pote de vidro na geladeira... Menina... ficou divina a sopa!
    Coloquei numa cumbuquinha (bowl) de louça branca e levei para a minha mãe que está numa gripe terrível.
    Amor, comidinha simples, fácil e de verdade.
    Abraço!

    ResponderExcluir

Fala que eu te escuto



Visualizações

Categorias