Menos é mais – Casa pequena

De uns tempos para cá tenho pensado muito em como seria ter uma casa portátil. Acredito sinceramente que essa é uma tendência mundial e que só vai crescer - Chega de mansões que só dão trabalho para manter e custam caríssimo. Nessa onda de viver de um jeito mais simples, com redução no consumo de recursos e redução nos espaços têm aparecido projetos construtivos enxutos que permite mudar os ambientes de acordo com seu uso e até transportáveis.
Essa casa de 32 m2 projetada para um casal, a sustentabilidade alia-se à tecnologia resultando em um bom exemplo de espaço que se transforma em vários ambientes diferentes com um simples toque em um tablet ou smartphone. Não faço a menor idéia de quanto custa a belezura. A casa itinerante passou por Porto Alegre e migrou para São Paulo onde fica até o dia 22 de julho, viajando depois por todo o Brasil e o projeto é da jovem arquiteta Betina Gomes. Veja mais aqui.

Confesso que meu desejo por uma vida mais portátil ainda não atingiu tão alto nível de desprendimento, mas estou caminhando nessa direção. 
Enquanto procuro uma forma de simplificar ao máximo meu estilo de vida, vou sonhando e me inspirando em casas com menos cômodos, uma casa menor. 
Hoje estou convencida de que não é apenas uma questão de espaço, mas de organização mesmo. Em uma casa menor, só cabe o que importa e ajuda a nos livrar de o que entulha a vida.

A grande sacada numa ‘casinha dessas’ e instalá-la num terreno enorme (sobra mais dinheirinho para investir num bom terreno), à beira de um lago, ou em partes de luxuriantes encostas de montanhas.

Que ninguém se engane só se consegue a simplicidade através de muito trabalho.Clarice Lispector

9 comentários:

  1. Pensava que eu era uma louca no mundo dos sábios!
    Yvone querida, acredita que minha casinha é pequena, mas ao mesmo tempo espaçosa...
    Escolhi ter somente o necessário em casa e não me procurar do ambiente ficar vazio, pois como tudo é em menor proporção, tudo fica ajeitadinho, bonitinho, custa menos pro bolso!
    Tinha muita coisa pra cozinha, decidir ficar somente com o que vou usar, sem guardar nada, se um dia acabar, é melhor comprar novamente do quer ter um estoque em casa!!!
    Optei por viver feliz, com menos preocupação de ajeitar casa, (pois na minha outra, tinha dia que estava louca arrumando jardineiro, faxineira e assim vai), tenho espaço pra minha filha brincar, demoro menos arrumando as coisinhas e quando vou querer algo do meu estilo, gasto menos, pois minha casa é de menor proporção... confesso, que estou bem feliz!!!
    É minha nova tendência, ser simples, mas sr feliz!

    ResponderExcluir
  2. Eu queria uma casa MINHA, poderia ser no estilo dessa primeira. Nem vou dizer mais nada para não virar lamúrias.
    Feliz dia do amigo.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Pois é Yvone,eu já vivo essa realidade há anos, tive que me habituar com espaços pequenos. No inicio foi difícil mas agora não quero outra vida. Economizo em tudo: produtos de limpeza, água, luz, gás aquecimento e tempo. Festa em casa? Só se for pra 6 pessoas, porque só tem 6 cadeiras e mesmo assim, transparentes pra dar a sensação de que não tem.
    beijo

    ResponderExcluir
  4. Não me incomodo nem um pouco em viver numa casa pequena, muito pelo contrário. Casa grande faz com que juntemos um monte de coisas que não usamos e dá uma tremenda trabalheira para manter em ordem. Realmente, a questão não é o tamanho do espaço, mas a maneira de utilizá-lo. Criatividade está aí pra isso. Agora, sobre a casa itinerante, acharia ótimo! Já trabalho dessa forma, em qquer lugar.Tenho uma mala que se parece com a do Gato Felix e tudo que preciso está lá. Se tivesse um trailler, já estaria felizona da vida.

    ResponderExcluir
  5. Yvone,
    eu chamo a minha casa de torre, porque ela é alta, cheia de escadas que me dão o maior trabalho. Já pensei em vendê-la e me mudar para outra cidade, para um apartamento que me desse menos trabalho, depois desisti: meus pais estão aqui ao lado, o único irmão que tenho mora aqui na cidade... então, enquanto eu puder subir e descer estarei aqui onde meus móveis e livros encontraram seus lugares e onde me espalhei pelos cantos em quadros e flores. Mas que o meu grande sonho sempre foi ter uma casa transportável, ahh... isso foi! Um trailer, ou um balão (como no desenho UP - lindo!).
    Menina, e oqueéaquilo do "zóião"? Amanhã cedo, sem falta, vou fazer... ;)
    Dia do Amigo... aproveito para agradecer sua amizade, carinho, companhia...
    Grande abraço,
    Jussara

    ResponderExcluir
  6. Ola querida,

    Tudo muito lindo...adoro lugares assim pequenos, mas cheios de charme.
    Adorei o post.
    Bjocas
    http://reformandoadistancia.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. Falou e disse! Excelente texto e escolha de fotos mais do que feliz. Um abraço da Cecilia.

    ResponderExcluir
  8. Eu gosto de casa com cômodos grandes, mas não gosto de tralhas. Gosto de ter espaço para circular entre os móveis. Acho errado ter muitos quartos em uma casa e não usá-los todos e ter sala e cozinha pequenas. Salutar unir as duas partes. Mas gostava de uma casinha pequenininha como a penúltima e usaria como uma casa de bonecas, somente com as minhas coisas! Um refúgio!! Beijus,

    ResponderExcluir
  9. Apoiada!
    É impressionante como casa pequena não precisa ser sinônimos de cômodos atravancados!
    Simplicidade é tudo!
    Mas é, realmente, um processo de aprendizagem diária!

    Beijos

    ResponderExcluir

Fala que eu te escuto



Visualizações

Categorias