Crianças grandes

A boa mãe é aquela que vai se tornando desnecessária com o passar do tempo.
Li essa frase certa vez em um livro de psicologia e ela sempre me soava estranha. Agora com filhos adultos a frase me parece mais coerente do que nunca.
Antes que alguma mãe apressada venha me acusar de desamor, preciso explicar o que significa isso. Ser 'desnecessária' é não deixar que o amor incondicional de mãe que sempre existirá provoque vício e dependência nos filhos, como uma droga a ponto de eles não conseguirem ser autônomos, confiantes e independentes. Prontos ou não vão traçar seu rumo, fazer suas escolhas, superar suas frustrações e cometer os próprios erros também.

A cada fase da vida vamos cortando e refazendo o cordão umbilical. A cada nova fase uma nova perda é um novo ganho para os dois lados, mãe e filho. Porque o amor é um processo de libertação permanente e esse vínculo não pára de se transformar ao longo da vida. Até o dia em que os filhos se tornam adultos, constituem a própria família recomeçam o ciclo. O que eles precisam é ter certeza de que estamos lá, firmes, na concordância ou na divergência, no sucesso ou no fracasso, com o peito aberto para o aconchego, o abraço apertado, o conforto nas horas difíceis.
Ao aprendermos a ser 'desnecessários' nos transformamos em porto seguro para quando eles decidirem atracar. Foi isso que eu li e é bem isso que tenho aprendido.

Minhas crianças grandes já nasceram com um chip implantado no cérebro. E eu, mesmo de posse de maior quilometragem, agradeço por ter a sensibilidade de entender que posso e devo ser aluna dos meus filhos nos assuntos que eles dominam mais do que eu.
Tenho a sorte de ter três extraordinários professores cada um em área diferente o que me faz uma aluna privilegiadíssima por poder receber diariamente informações quentíssimas sobre informática, jornalismo, comunicação geral e irrestrita, meio ambiente, hotelaria e vida no exterior. Com estes professores tenho a certeza de não estar recebendo informações erradas, distorcidas ou mal intencionadas. É mesmo uma delícia haver uma relação de amor e respeito bilateral entre aluna e professor. Esta é a delícia reservada para nós, pais, que temos o privilégio de aprender com nossos filhos.
Filhos, crianças grandes ou pequenas, meu abraço apertado, orgulhoso e feliz!
Vocês são minha maior riqueza.
Obrigada Papai do Céu!!! Senhor Deus abençoe a todos os filhos!
Parabéns queridas crianças grandes, no seu pelejar pela vida. Na sua visão do futuro. No seu jeito de ser, de aprender ensinar, de fazer.
De zelar pela vida. De amar!
Yvone

Um comentário:

  1. Olá,

    Amanhã, é um novo tempo.
    Passei para lhe desejar Paz, Saúde e Alegria.
    Todo tempo, é de reflexão. E este, nos convida sempre, à reflexão. Sobre o dom da Vida, por exemplo.
    Feliz tudo.

    ResponderExcluir

Fala que eu te escuto



Visualizações

Categorias