Reforma e desapego

Quem costuma visitar esse blog deve lembrar-se de algumas das reformas e transformações que já realizei ao longo destes anos nas casas onde moro e morei.
Hoje estou postando para dizer que este blog não esta abandonado. Sou eu que ando ocupada. Estive às voltas com a segunda etapa da reforma do apartamento em São Paulo que iniciei no final de 2008. 
AQUI e AQUI

Desta vez reformei os dois banheiros e aproveitei também para mudar alguns conceitos.
Mexe aqui e ali e logo surgem mais outras tantas coisas que precisam de reparos e ajustes; refazer sinteco, ajustar portas e janelas, pintar tudo novamente... E se você não tomar cuidado não acaba nunca mais. Graças a Deus estamos chegando ao final da etapa e desta vez, resolvi também não ter pressa de colocar tudo no lugar. Não vou trazer nada da minha casa em Itu, porque por lá ainda estou destralhando e deixando apenas o necessário.


Tive a sorte de ser apresentada por uma grande amiga a uma arquiteta bacana e bastante consciente que captou minhas atuais necessidades e me ajudou a realizar a empreitada. Se não houver um bom planejamento, mão de obra qualificada, responsabilidade e bastante entendimento, além de você gastar mais e depois ainda ter que refazer e amargar prejuízos, a obra vira uma guerra que no final, acaba arruinando a sua saúde, as suas finanças e até a sua relação. É pura ilusão achar que pode dar conta de tudo sozinha, um arquiteto é imprescindível para ajudar a enxergar algumas coisas importantíssimas que passam despercebidas.
“Andei pensando nessa história de simplificar, e vejo que passei a primeira metade da minha vida querendo ter as coisas – todas as coisas – e estou passando a segunda metade querendo me desfazer das coisas, e ficar apenas com o essencial.” (Danuza Leão – É Tudo Tão Simples).

Eu também tenho me sentido assim. Tem sido praticamente uma necessidade que se apoderou de mim. Quero me livrar das coisas e criar espaços para o melhor - Espaço nos armários e nas gavetas, nas agendas, pra pensar, pra brincar ou não fazer nada, pra se divertir com os amigos, com a família, pra experiências novas.
Olhando agora pra este espaço quase vazio, me dei conta que preciso mudar a forma como tenho olhado pra minha casa, pras minhas necessidades e pra minha capacidade de obter o melhor.
Com poucas coisas dentro de casa, o processo de arrumação ficará muito mais fácil e tudo que a gente tem que fazer é seguir a velha máxima de “um lugar para cada coisa e cada coisa em seu lugar”.
Bom, estou apenas começando minha jornada de desapego, é um exercício imenso. Nessa jornada eu vou me livrar de tudo o que me estressa, me distrai e é desconfortável, e vou manter tudo o que me traz alegria e uma sensação de bem estar. Vou eliminar todos os excessos e descobrir quem eu realmente sou.
Exercícios 1 e 2  Desapego e Desapego

Boa semana e bom destralhe pra todo mundo!

9 comentários:

  1. Só não desapego mais porque o marido não deixa.
    Bjus

    ResponderExcluir
  2. Oi, Yvone!
    Será que isso de querer ficar só com o essencial tem a ver com a idade? O Rubem Alves diz que quando estamos no caminho do conhecimento só acumulamos coisas, mas qdo começamos a trilhar o caminho da sabedoria vamos nos desapegando delas, ficando mais livres! Qdo disse isso ele já não era criança... e eu começo a observar que os livros que sempre fiz questão de guardar hoje começam a me pesar como um fardo... rs
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  3. Amo receber as novidades do seu bloguito.

    Abração e seja muuuuito feliz!

    ResponderExcluir
  4. Coisa boa, Yvone, um novo olhar é sempre bem-vindo. Embora com muitas oportunidades que surgem em nossas vidas para treinarmos o desapego, acho que a mudança é a maior delas. Que fique somente o realmente importa, o resto a gente carrega na memória, né? Beijo

    ResponderExcluir
  5. Oi, Yvone!
    Também entrei nesse caminho, mas morro de preguiça de fazer reforma, justo porque já entrei em algumas furadas.
    Atualmente penso em conforto e simplicidade. Não quero mais coisas que dão trabalho e que ocupam o meu tempo. Quero o meu tempo para mim e as pessoas que amo. Como dizia a minha mãe: "Nós vamos embora e a casa fica". Que a casa seja morada da alegria.
    Boa sorte!!
    Beijus,

    ResponderExcluir
  6. Yvone, adorei a notícia do novo blog no ano novo... Coisa boa! Sucesso!
    Abraço e linda semana!
    PS: Como está a fofa da Valentina?

    ResponderExcluir
  7. eu também tive meu periodo acumuladora,mas da quando nasceu meu filho inverti isso, e agora estou muito essencial, embora tenha dificuldade de desapegar de algumas coisa, porque são pedaço de vida de recordações.
    mas devagar vou fazendo limpeza, na casa na vida e na alma.

    baci

    ResponderExcluir
  8. Oi Yvoninha, acabei de retornar das férias e aproveitei para passar e te desejar um Feliz Natal e um Ano Novo repleto de alegria, paz e prosperidade. Com carinho de sempre... Regiane.

    ResponderExcluir
  9. Votos de um Natal cheio de amor, paz e esperança e uma excelentes entradas em 2014.
    Bjnhos,
    http://saborescomtempo.blogspot.pt/

    ResponderExcluir

Fala que eu te escuto



Visualizações

Categorias