Exercitando o desapego

Imagem We heart it

Nunca se falou tanto em desapego como nesta última década. Na internet, na TV e nas revistas somos bombardeados por dicas e exercícios para nos ajudar a não acumular coisas, lembrando-nos da importância em abrir espaço físico e mental para o novo; eu mesma já escrevi aqui no blog várias reflexões sobre esse assunto.
Eu nunca doei e joguei tanta coisa fora! Tenho passado os últimos três anos em pleno processo de destralhamento e ainda tenho muitas coisas que não uso tomando conta de alguns espaços. Joguei milhares de coisas fora (doei, reciclei, vendi algumas) e acreditava que só o essencial tinha permanecido. Poucas e boas coisas esse também era meu lema. 
Quanto à questão pessoal, em relação a atitudes e hábitos, pensava estar relativamente bem resolvida. Aham... Ledo engano mesmo.

Em meus exercícios diários na tentativa de simplificar a minha vida descobri que jogar coisas estragadas ou velhas e que não servem mais, é só a ponta do iceberg, e ainda é pouco. Difícil é abandonar aquelas coisas novas e impecáveis que você não usa mais. Sabe aquele faqueiro maravilhoso com trocentas peças que você não usa há dez anos? Ou aquele móvel clássico e lindo que simplesmente não combina mais com seu novo estilo de vida, mas que você insiste em carregá-lo de casa em casa? Por que guardar essas coisas?
A cada dia que passa nessa fase de desentulhar-me descubro também que esta tarefa é muito mais difícil do que eu pensava e não é a toa que esse tema tem rendido boas e importantes discussões – de Budistas a ambientalistas.

Semana passada comecei juntar forças para encarar de forma mais prática os objetos de maior valor. E ai descubro que ainda não estou pronta para me desfazer de todas as coisas, algumas estão lá porque me fazem sorrir cada vez que olho para elas. Tenho consciência de que a casa não ficou cheia de tralha da noite para o dia (algumas coisas foram acumuladas durante uma vida inteira), nem ficará vazia tão rapidamente. O processo de desapego é diário, fazendo um pouquinho ali, um pouquinho aqui
Não sofro também por ainda sentir um aperto no coração quando percebo que tenho de me desfazer de determinados objetos. Só não quero que esse sentimento tome conta de mim com coisas do dia a dia que não possuem mais utilidade nem qualquer significado, principalmente porque tenho percebido que muitas coisas mantinha somente pelo hábito. Na verdade, desapegar-se de coisas materiais significa reconhecer que tudo o que se faz nessa vida é temporário e nada do que se possui aqui poderá ser levado quando você se for.

Não sinto falta de nada que descartei, não preciso mais das coisas para construir minha identidade, o que provavelmente fosse bem verdade quando era mais jovem. Então posso perfeitamente abrir mão delas. Até agora tenho conseguido.

Desejo que você encontre sabedoria ao lidar com os objetos que tiver guardado e já aviso que não é fácil. Trata-se de um exercício diário e muito emblemático. Hoje, começo mais um dia e estou exercitando me desapegar definitivamente da preguiça de sair para caminhar. E você? Quer se desapegar do que?

11 comentários:

  1. Feliz Dia dos namorados querida, que Deus esteja sempre presente em todas as areas de sua vida, um grande abraço.
    http://grandeigualdavi.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Vc tem toda razão o desapego é diario,as vezes quando fico com duvidas sobre doar ou não procuro guardar por um mês em saco preto e guardo em um canto assim passando o mês e eu não precisando do que esta ali dentro dou a alguem sem olhar porque se eu pensar acabo não dando...é um exercicio mesmo!Adorei o post parabéns

    ResponderExcluir
  3. Yvone amada, que texto maravilhoso!!!
    Eu sou bem desapegada, vivo doando coisas, mas é o que você disse, pior é se desapegar de algumas coisas que não usamos, mas que ainda nos prendem, né?
    Sabe, lendo este texto me deu vontade de fazer mais uma sessão desentulha em casa, e a farei, amanhã!
    Tu me inspira, guria!
    Morro de saudades de ti!
    Te adoro
    Beijossssssssssssssss
    Vero

    ResponderExcluir
  4. Caraca, tô precisando com urgência me desapegar da preguiça de caminhar...mas uma coisa de cada vez, no momento estou tentando me desapegar das preocupações excessivas com filhos. E estou mais uma vez me dasapegando do cigarro, que já parei 2 anos, 5anos e meio e 1ano e 2 meses, exatamente nessa ordem e sempre voltei. dessa vez tinha voltado em janeiro e já larguei de novo assim que a mamãe saiu do hospital... agora vai, rs. bjs.

    ResponderExcluir
  5. É um exercício e tanto! Não costumo guardar coisas novas que não utilizo mais, passo pra frente mesmo. Meu problema são as coisas velhinhas.Resolvo da seguinte forma: entre minha família, costumamos trocar itens, então é super normal alguém vir me visitar e trazer algumas coisas e sair com outras. É uma forma de mantermos "por perto" aquilo que gostamos e ainda ajuda a reciclar o visual da casa e segurar a onda no momento de comprar algo novo. Quando alguém se muda, rola a partilha. Se não serve, vai para a doação. E costumo colocar tudo em uso mesmo, até aqueles pratos de família da época de minha infância. Se quebrar, é porque chegou sua hora... Mas confesso que alguns itens não abro mão mesmo! Beijo, Helka

    ResponderExcluir
  6. Minha amiga... estou em fase de mudança para uma nova casinha! Essa é a parte mais difícil... DESAPEGO.
    Confesso que eu tenho apego com pouquíssimas coisas, acredito na minha verdade, que tenho que possuir somente o necessário pra mim. E o necessário pra mim, é ter minha casinha limpinha, os objetos, os bens materiais que uso no dia a dia, não inúmeras louças que guardo apenas para admirar. Não gosto disso. Mas, sou assim e confesso que gosto desse meu jeito de ter apenas o que me é necessário.
    Quando fui empacotar minhas coisas, vi tanta coisa que não usávamos, fui doando uns pra minha secretária, outros a mesma levava para ser doado no bairro, que diga-se de passagem é bem crítico. Me senti tão leve, como se eu levasse uma bagagem a menos. Já outras coisinhas, passou por reforma, outras que não tinha tanta necessidade, dei pra minha mãe, minha sogra... mais o pro maior, não sou eu.. e sim meu esposo =/ Fiz muita coisa, sem a presença dele, ele é muito apegado ao material. Acredita que estou na luta, pois ele possui muitas peças velha de informática, que só junta poeira e não quer jogar...=/ Estou a procura de inspirações para futuramente fazer um localzinho para ele...
    Querida, sei o que vc está falando perfeitamente, aqui em casa tenho um teimosinho. É duro se desfazer, mas o resultado é gratificante.
    Beijinhos!!!
    Você me inspirou para um post.

    Lorena Viana

    ResponderExcluir
  7. Yvone... minha queridona! Não recebi e como estou frequentemente no meu pc, não chegou nenhum email. Agora estou eu, com uma vontande e uma anciedade louca para ler suas dicas, seu email.
    Acredita que ainda não me mudei definitivo? Apenas, estou organizando, mobiliando, guardando meus obejto, mas tbm fiz umas modificações que é melhor eu está fora.
    Meu email é: lolozinhaviana@hotmail.com

    Reenviaaa...
    Estou arquitentando meu chá, para próxima semana, ou no ínicio de julho!

    Beijinhoss!!
    (Sou tão falante!!!)

    ResponderExcluir
  8. Rsrs... Desapegar-me da preguiça de sair para caminhar! Este será, talvez, o desapego mais difícil de fazer acontecer! Mas eu preciso. Engordei muito e caminhar me faz doer a coluna e se não caminho, engordo mais...
    Hoje a tarde desapeguei-me de vááááárias apostilas que vou doar para a APAE (pois um dos lados das páginas pode ser aproveitado) e muitas revistas (que podem usar para recortes). Tenho exercitado o desapego e aprendido a viver de modo mais simples. Roupas, sapatos e bolsas - que antes eu tinha demais - hj só tenho o essencial. Doei quase tudo. Mas ainda sou apegada a tanta coisa! As bonecas que marcaram minham infância e a de minha filha, por exemplo, estão guardadas, quando poderiam ser doadas - delas ainda não consegui me desapegar...
    Abraço!

    ResponderExcluir
  9. Yvone, querida, sei que deveria ter pedido autorização, mas acabei postanto antes de falar com vc. Meu último texto cita seu blog e um de seus posts. Dê uma espiada lá... quem sabe vc acha bonitinha e fico perdoada...? rs
    Abraço,
    Jussara

    ResponderExcluir
  10. it´s a great oportunity ti see you work here!

    ResponderExcluir
  11. olá pessoal tenho senhas do programa da electrolux (quem indica amigo é) onde os produtos são vendidos a preço de fabrica quem quiser senhas me mande um e-mail o site é www.electrolux.com.br/quemindica

    ResponderExcluir

Fala que eu te escuto



Visualizações

Categorias