Mais um Facebookcídio no Brasil

Há tempos venho questionando e até criticando sobre o uso desmedido que as redes sociais provocam na vida da gente. Percebi que atrapalha a comunicação (em vez de ajudar), acirra conflitos de opinião e efetivamente não serve pra nada.
Já tinha ouvido falar em facebookcídio e ao ler alguns relatos na internet é isso que acabei de fazer - Saí do faceboock como opção para recuperar meu sossego e um pouco de privacidade na vida. Já tinha abandonado o Twitter, o Linkedin e não entrei no Instagram e ainda continuo com o Google+ e o Pinterest porque são mais voltados para o meu blog mesmo.

Depois de alguns anos blogando resolvi que entrar também no Facebook ficaria mais próxima dos meus leitores, mas as coisas se misturaram e o uso diário passou a me consumir e quando dei por mim estava viciada.
Prejudicou muito a minha concentração causada pelas novidades e mensagens que vão aparecendo sem a gente pedir, a ponto de não conseguir mais produzir um post inteiro, escrever meus poemas ou simplesmente ler um livro. Aos poucos fui deixando o blog de lado e me perdi pelo caminho.
Notei que muitas vezes uma hora inteirinha já tinha ido embora somente às visitas de perfil em perfil, meio sem rumo, mais uma perda de tempo do que uma distração. Perdeu o sentido.
Apesar dos danos de passar tanto tempo navegando pelo facebbock apenas essa semana criei coragem e desativei meu perfil. Eu queria simplesmente deletar minha conta, mas como escritora e blogueira entendo que o aplicativo ainda é uma das melhores formas de manter o contato com as pessoas que acompanham meus textos e outros trabalhos, por isso ainda não deletei a conta esta desativada, mas se o aplicativo continuar insistindo (como tem feito esses dias) vou ser obrigada a sair de vez, deletar o perfil para sempre.

Pelo que tenho visto o desgaste dessas redes já é uma realidade, mas é irreversível e logo aparecem outras e assim por diante.Talvez seja tudo culpa de Zygmunt Bauman e seus conceitos sobre a sociedade líquido-moderna. E, talvez, eu retorne na outra semana, cof, cof brincadeirinha.
Explicações demais cansam a beleza. A minha e a sua.
Prometo voltar por aqui com mais freqüência e que Alá me inspire a produzir bons textos ou historias que verdadeiramente mereçam ser compartilhados. Não prometo conteúdo incomum, mas vou tentar buscar olhares diferentes sobre aquilo que parece óbvio.
E que venha 2017!
Abraços em todos cheio de saudades.
yvone


Visualizações

Arquivo

Categorias