Menu simples de Natal

Fim de ano chegando metas a alcançar, trabalhos para terminar. Vai ficar em casa? Vai viajar? Praia, campo ou cidade tanto faz, toda hora é hora de arrumar, organizar, comer, dormir, pensar e sonhar.

Meu final de ano tem sido relativamente agitado, estou terminando um curso (surpresaa!!!), tenho visitado e encontrado pessoas que eu gosto, fui a lojas que eu gosto, andei sob sol e chuva. No caminho a cabeça rodopia, bate um cansaço, mas satisfeita por descobrir coisas novas para a casa, a mente e o corpo. Ainda é difícil absorver tantas informações e coisas novas, tantos jeitos de ser, de viver.

Hoje trago inspirações e novidades, para dividir com quem aparece de visita por aqui.
Para começar esses dias estava pensando num menu simples para a ceia de Natal, e os pratos que me inspiraram dispensam acompanhamentos. Uma entradinha light para acalmar o estômago... E para arrematar a noite e o calor, sobremesas, leves e refrescantes.
Tenho me concentrado em menus práticos e saborosos para quem tem família menor e receitas que a gente pode fazer o ano inteiro, principalmente nos dias de verão.
Salada Verde - Gostei tanto da dica do figo em calda que resolvi fazer. Encontrei aqui
Adoramos bacalhau ao forno, é quase uma tradição. Massa com Conflit de tomates e bacalhau. Já tinha feito uma vez e usei sobras da bacalhoada que foi servida na noite anterior, ficou uma delícia.
Essa receita é ideal para quem tem uma família menor, mas não dispensa uma ave no cardápio de Natal. Não conhecia a receita e pelo passo a passo e modo de fazer, acho que não vai ter erro. Essa receita, aliás, dá para repetir o ano inteiro. Vou fazer e depois contar o que achei.
Rap10 da Pullman casquinha para sorvete
Para fazer as cestinhas você vai precisar de forminhas de empada de pudinzinho ou outro recipiente que possa ir ao forno. Ideia da Maria de Lourdes do Blog Coisas de Casa – Eu adorei.

Na minha página no pinterest tem essas embalagens e muito mais.

Para comemorar o mês de novembro pela consciência negra deixo o belo vídeo onde Raquel Trindade, folclorista, declama o poema "Trem sujo da Leopoldina", de autoria de seu pai, Solano Trindade - um dos grandes poetas brasileiros, e o primeiro a escrever especificamente para o público negro do Brasil. Extraído do documentário "Geraldo Filme"
Tem gente com fome e hoje também com medo.
Uma linda semana a todos.

Filosofias domésticas

“Nunca se protele o filosofar quando se é jovem, nem canse o fazê-lo quando se é velho, pois que ninguém é jamais pouco maduro nem demasiado maduro para conquistar a saúde da alma. E quem diz que a hora de filosofar ainda não chegou ou já passou assemelha-se ao que diz que ainda não chegou ou já passou a hora de ser feliz”. (Epicuro) Fonte
Eu ando bem sumida eu sei. Teve o aniversário de 80 anos da mamãe, algumas viagens curtinhas, encontros e despedidas, casa para limpar, organizar papeizinhos e papelões e meu blog querido acabou ficando um pouquinho de lado. Mas a vida continua e as coisas começam a funcionar novamente.
Nesses dias de ausência lembrei que o Blog completou 4 anos de vida. Estou muito orgulhosa de ver o quanto ele cresceu - Novos rostinhos por aqui sempre me enchem de alegria.
Dias atrás estava lembrando e pensando no tanto que a minha vida mudou e quão mais pratica teria sido se viesse com manual de instrução, ou tivesse internet (cheia de dicas rápidas). Passei anos cansada me sentindo sobrecarregada porque não sabia administrar meu tempo. 
Quando tinha filhos em idade escolar, horários a cumprir, congestionamentos diários e várias tarefas a desempenhar sempre pensava em como aproveitar melhor o tempo livre, mas esbarrava na falta justamente dele, o tempo. Pensava: "no domingo que será um dia mais tranqüilo, vou organizar minhas gavetas, meus papéis ou começar ler aquele livro”, mas como outras tarefas, esta também era apenas mais uma empurrada para a lista de espera a ser realizada no tempo milagroso de algum domingo.
Provavelmente muitos dos que me leem agora passam justamente por isso, aliás, uma das frases mais dita nas últimas décadas é: Agora não posso ou não tenho tempo. E esta falta de tempo eterna gera stress, ansiedade, depressão e sabe se lá mais o quê, e não raro acaba em doenças das mais graves.

Festas de final de ano, por exemplo, encurta ainda mais o tempo das pessoas, principalmente aquelas que começam a surtar e a fazer programações variadas que incluem não só o Natal e o ano novo, mas também o carnaval e até Páscoa! Nossa que medo viu.
Em meio à histeria coletiva que toma conta do mundo nessas épocas de festas, muitas vezes olhava para minha lista de pendências e achava que nunca conseguiria parar, planejar com calma me organizar e descansar
. 
Felizmente o tempo passou e aprendi a me organizar e não me deixar levar mais por essas correrias.
Aprendi, não sem dor que somos sim, responsáveis pelo bom ou mau uso do nosso tempo. Não adianta empurrar para amanha a louça, a casa, os papéis, o casamento ou sabe se lá mais o quê. O melhor a fazer é encarar logo e de frente a bagunça que você criou e se livrar dela o mais rápido possível. Provavelmente vai aparecer tempo para relaxar e descansar, mas pare de querer fazer coisas. Parece que ninguém mais sabe como é ficar quieto e em silêncio total.

Descobri que quando damos a nós mesmos este pequeno luxo para não fazer nada ou quase nada, como tomar um banho demorado, dormir em plena luz do dia, tomar sol, caminhar pelas ruas do bairro e coisas simples assim, acabamos percebendo como são bons estes momentos de dolce far niente, sabath, carpe diem ou preguiça mesmo. 
Contemple-se! Não faça nada, faz bem para o corpo, mente e alma. Nesses momentos somos renovados e assim tocamos a vida em frente com alegria e leveza.

Agradeço sua visita, amizade, carinho, e a todos os comentários deixados aqui ao longo desses anos.


Visualizações

Categorias